Brasil Economia

Bolsonaro poderia liderar ações para baixar os preços dos combustíveis

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a culpar os governadores pelo alto preço dos combustíveis no Brasil. Como presidente da República, Bolsonaro deveria abandonar o comportamento beligerante e liderar negociações com governadores e o Congresso Nacional para, de fato, reduzir os preços ao consumidor.

Não basta bater no peito e dizer que zerou o tributo federal sobre o gás de cozinha ou que o valor do imposto federal sobre a gasolina é irrisório. Essas ações, como mostram os fatos, não foram suficientes para derrubar os preços para o consumidor.

Isso não significa que o presidente da República é culpado pela alta de preços. Ele tem parte da culpa, assim como os governadores tem outra, a Petrobras, as distribuidoras e postos também têm, mas também há a falta de regras, que poderiam ser definidas pelo Congresso.

Essa “engenharia”, no entanto, não é simples. Requer, primeiro, uma liderança com disposição para reunir os envolvidos, discutir saídas que evitem perdas para os Estados que possam gerar prejuízos à população, e decidir através de consensos.

É fato que os governos estaduais cobram o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o preço final da gasolina, por exemplo. Esse preço deveria ser cobrado sobre o valor vendido pelas distribuidoras aos postos.

Mas é preciso verificar qual seria o tamanho da perda na arrecadação estadual e se isso não geraria problemas em outras áreas atendidas pelo poder público. Os governadores e secretários estaduais de Fazenda precisariam ser ouvidos.

Deputados e senadores também deveriam participar das discussões e poderiam propor, discutir e aprovar regras tributárias unificadas para os combustíveis.

Os deputados estaduais também poderiam participar, apresentando propostas e, possivelmente, definindo as normas no âmbito do Estado.

Apontar o dedo aos governadores não resolve o problema, porque todo governante reclama da falta de recursos e nenhum tem disposição para abrir mão de receita.

Mas a redução do preço do gás de cozinha, da gasolina, do diesel e do etanol é um clamor de toda a população, e deveria ser ouvido pelos políticos.

Do portal @amazonas.atual.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Direto da Redação

Notícia, conteúdo e credibilidade

Folha de Maués

Notícias da Terra do Guaraná, Amazonas, Brasil e Mundo

g1 > Turismo e Viagem

Notícias da Terra do Guaraná, Amazonas, Brasil e Mundo

g1 > Mundo

Notícias da Terra do Guaraná, Amazonas, Brasil e Mundo

g1

Notícias da Terra do Guaraná, Amazonas, Brasil e Mundo

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

%d blogueiros gostam disto: