Amazonas Educação

Após recomendação do MPF, indígenas recebem curso de Licenciatura Intercultural em 2019

Por G1 Amazonas

Com início previsto para 2019, o curso de Licenciatura Intercultural Indígena deve ser oferecido para a formação de professores indígenas no Amazonas. A informação foi apresentada ao Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas pela Semed, em resposta à recomendação da instituição sobre medidas para melhorar a qualidade e garantir a regularização da educação indígena em Manaus.

Além da formação dos professores, o MPF recomendou à Prefeitura de Manaus e à Semed a adoção das medidas necessárias para elaboração e aprovação de plano de cargos, carreiras e salários para professores indígenas, agentes de saberes tradicionais e pedagogos indígenas.

A maioria dos professores indígenas ainda está cursando o ensino superior e a realização de um concurso público no momento atual poderia ocasionar prejuízos na continuidade das aulas, com o ingresso de professores não indígenas desconhecedores da cultura e tradição dos alunos indígenas.

Na resposta encaminhada ao MPF, a Semed informou que há um processo em andamento sobre a elaboração do plano de cargos, carreiras e salários para professores indígenas, atualmente em tramitação na Secretaria Municipal de Finanças (Semef), para que seja transformado em lei municipal. O MPF acompanhará a elaboração do referido plano e criação da carreira específica, considerando serem essenciais para a autonomia educacional dos povos indígenas.

Além da elaboração e aprovação de plano de cargos e salários e do projeto de formação e qualificação dos professores, o MPF recomendou que a Prefeitura e a Semed adotem o processo seletivo diferenciado e simplificado como padrão, enquanto não houver professores indígenas qualificados para ingresso via plano de cargos, carreira e salários.

O MPF indica o prazo de dois anos, prorrogável por mais dois anos, para a conclusão da formação dos professores indígenas, com a consequente realização do concurso público diferenciado após a conclusão.

No mesmo documento, o MPF recomenda a regularização dos centros de educação escolar indígena no município de Manaus para o ensino da língua e da cultura. A medida deve ser realizada com base em consulta da Semed às lideranças, comunidades indígenas e conselho de anciãos, para adequação do projeto de lei aos direitos indígenas. O prazo estabelecido na recomendação para a regularização é de 180 dias.

Sobre o processo seletivo:

A Semed assegurou que ele será realizado conforme prevê a recomendação do MPF. A regularização dos centros de educação escolar indígena, segundo informou a secretaria, também está sendo tratada em processo que tramita na prefeitura, com objetivo de tornar lei o reconhecimento dos centros

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Direto da Redação

Notícia, conteúdo e credibilidade

Folha de Maués

Notícias da Terra do Guaraná

G1 > Turismo e Viagem

Notícias da Terra do Guaraná

G1 > Mundo

Notícias da Terra do Guaraná

G1 > Brasil

Notícias da Terra do Guaraná

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

%d blogueiros gostam disto: