Amazonas

Sinais de CRISE no preço do GUARANÁ em Maués

dezembro 2, 2018 

 

thomasrural.com.br

 

A Conab precisa avaliar, com urgência, o mercado do GUARANÁ no Amazonas. Segundo relato recebido de Maués, de produtor, o preço de venda está bem abaixo do preço de referência publicado na RESOLUÇÃO 4.666, de 06/06/2018. Esse preço é de R$ 18,27 kg/Tipo 1.

Em 2017, o preço chegou a R$ 10,00 kg, e muitos produtores não conseguiram vender.

Atualmente, estão pagando R$ 13,00 kg com poucos compradores.

Segundo relato, a principal alternativa para negociar a produção é a AMBEV, que faz uso de atravessadores na compra gerando preço ainda menores aos produtores.

A colheita começa em outubro, finaliza em novembro, mas o pagamento aos produtores só acontece em janeiro.

A regional da Conab no Amazonas precisa colocar em pauta esse assunto. O próprio site da Conab registra o custo de produção do guaraná de Maués em R$ 22,79 kg (planilha abaixo). Uma das mais nobres missões da Conab é garantir o preço mínimo ao produtor rural brasileiro.

No meu entendimento, se realmente ficar confirmada as informações que recebi de Maués, um dos  caminho é voltar a incluir o GUARANÁ na PGPM para possibilitar o uso dos instrumentos de apoio à comercialização do Governo Federal, entre eles a AGF (Aquisição do Governo Federal).

Atualmente, apenas está disponível o FEE (Financiamento Especial para Estocagem) ao preço de referência de R$ 18,27 kg.

É do meu conhecimento que o deputado Luiz Castro já está ciente do assunto e já está tomando algumas providências. A Federação de Agricultura e Pecuária do Amazonas/FAEA também já está avaliando o assunto.

A Conab precisa convocar reunião, incluindo nesse papo a SEPROR, IDAM, PREFEITURAS de Maués/Urucará, EMBRAPA, UFAM, FAEA, OCB, FETAGRI, AMBEV, COCA COLA e ONG’s que apoiam comunidades com produção de guaraná. Certamente tem outros importantes atores que deixei de mencionar.

É preciso urgentemente avaliar o mercado do GUARANÁ no Amazonas. É preciso checar se a realidade do nosso agricultor familiar do GUARANÁ é, de fato, a que está sendo divulgada nos comerciais das empresas de refrigerantes que usam o produto regional.

Por fim, quero lembrar que o CBA, que tudo leva a crer que vai funcionar a pleno vapor, pense no HOMEM e na MULHER que vivem NA FLORESTA, na RENDA ($) dessas populações, e NÃO SOMENTE FAZER PESQUISA privilegiando EMPRESAS PRIVADAS. Tem que unir essas pontas, mas não é isso que tenho visto com o nosso GUARANA, BORRACHA, CACAU, ANDIROBA, PIAÇAVA ETC. É sempre bom lembrar que o Amazonas é o segundo estado mais pobre do Brasil com 49,2% da população na pobreza.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Direto da Redação

Notícia, conteúdo e credibilidade

Folha de Maués

Notícias da Terra do Guaraná

G1 > Turismo e Viagem

Notícias da Terra do Guaraná

G1 > Mundo

Notícias da Terra do Guaraná

G1 > Brasil

Notícias da Terra do Guaraná

WordPress.com em Português (Brasil)

As últimas notícias do WordPress.com e da comunidade WordPress

%d blogueiros gostam disto: